Lenço Companheiro


Lenço guerreiro,
Vamos juntos em mais uma batalha
Meu amigo, meu velho companheiro

Nunca me deixou na mão
Sempre esteve ao meu lado
Quando na cara, me disseram não

Longe do meu ver
Às vezes te esqueço no bolso
Mas logo volto a te buscar com algo a dizer

Quando vivo um amor
E de repente algo me diz:
Não tem volta, agora tudo acabou

Só encontro sossego
Neste que já foi de meu pai
E agora enxuga minha face dentre meus dedos.


*Escrevi estes versos no final da década de 1990 e também pus uma melodia assobiável.

Postagens mais visitadas