Vitor Ramil e o filho Ian falam de família e música

Leia aqui matéria de Fernanda Zaffari

“Muita gente confunde, acha que a Estética do Frio seria uma
oposição, uma recusa à música de festa. Não sou absolutamente
contra nada. Minha geração sempre teve conflitos com questões
de identidade. Quando faço um disco como Ramilonga ou Délibáb
é meter a mão neste barro, mas sem se submeter ao estereotipo.” - Vitor Ramil

Leia mais sobre o artista no post: Banzo bom.

Postagens mais visitadas